Teste de usabilidade pode parecer perda de tempo e dinheiro, e até soar um pouco cansativo para a equipe de marketing. Ou talvez pareça algo mais voltado para equipe de design ou UX, certo?

Mas, na verdade, é exatamente o contrário!

Teste de usabilidade tem tudo a ver com o cotidiano da equipe de marketing e não é apenas fazer testes de laboratório, mas sim, colocar pessoas diante de sites e aprender com a real forma de interação.

Aqui vão algumas dicas de como fazer teste de usabilidade em landing pages, além de quais ferramentas utilizar para entender o comportamento do usuário no seu site.

 

O que é uma landing page?

 

Para começar precisamos entender o que é uma landing page.

As landing pages são páginas de um site conhecidas ou traduzidas como páginas de destino. O objetivo central de uma landing page é a conversão (conclusão de um objetivo, que pode ser o preenchimento de um formulário, uma compra, entre outras possibilidades).

Essas páginas não precisam necessariamente conter o mesmo layout do site institucional.

 

Para que serve uma landing page?

  • Compartilhar uma oferta;
  • Capturar novos leads (contatos interessados);
  • Apresentar um novo produto ou serviço;
  • Oferecer conteúdo relevante.

Um dos objetivos principais de uma landing page é converter os visitantes em lead, e assim atraí-los para o funil de vendas, seja com e-mail marketing ou outras estratégias.

Páginas como essa costumam ter poucos elementos para evitar distrações e focar apenas na oferta central que está sendo concedida, e assim atraí-los para o call-to-action (CTA).

 

O que oferecer em uma landing page?

  • Ebooks;
  • Planilhas;
  • Infográficos;
  • Uma oferta, promoção ou cupom.

Tudo que pode ser considerado um material rico, pode ser utilizado, desde que faça sentido dentro da estratégia de marketing. Fazendo com que o usuário preencha um formulário, em troca de algo de valor para ele.

Para saber como criar landing page que converta, continue a leitura!

 

Leia também: Qual o tamanho ideal de uma landing page?

 

Dicas de conversão para landing pages

 

Para a sua landing page gerar feedbacks, ela precisa estar bem otimizada, e quanto mais você souber sobre as estratégias e técnicas que podem ser implementadas, melhor será o resultado das suas conversões.

Portanto, antes de colocar a mão na massa, veja abaixo, algumas dicas de como deixar suas landing pages mais atrativas para os visitantes.

 

1. Benchmarks

 

Essa parte nada mais é do que uma pesquisa.

Essa pesquisa deve ser feita antes de começar o seu projeto. O benchmark significa “referência”, é uma análise estratégica das melhores práticas usadas pelos seus concorrentes.

Muitas vezes você pode aprender tanto quanto (ou até mais), vendo pessoas acessarem landing ages, as quais você não é o encarregado. Você será menos defensivo, e mais aberto a receber um feedback positivo ou negativo.

Um exemplo:

Imagine que você acabou de construir uma nova landing page para que as pessoas façam o download de um ebook. Ao invés de ver o feedback de sua página, veja o comportamento de pessoas acessando landing pages de outros ebooks semelhantes. Pegue este feedback, e tente adequar e aplicar à sua página.

Talvez você chegue à conclusão de que as pessoas não farão o download, a menos que consigam ler uma versão reduzida, antes.

Ou então, que as pessoas não se importam em fornecer seus endereços de e-mail, mas não gostam de ir muito adiante preenchendo formulário com número de telefone e informações da empresa.

Assim você terá ideias de como começar e o que você pode aprimorar nas suas estratégias de marketing, caso seu projeto já esteja em andamento.

 

Nota: Não veja isso como um “copie o que seus concorrentes estão fazendo.” A grande questão aqui, é levantar idéias analisando o que o seu mercado está fazendo e adaptar ao seu produto ou landing page.

 

2. Comece com Wireframes

 

Antes de começar a criar uma landing page, não espere até que ela esteja pronta para testar com as pessoas. Ao invés disso, economize tempo e dinheiro, testando Wireframes.

Testando seus Wireframes, você pode rapidamente fazer mudanças antes de envolver mais pessoas da empresa.

Crie um Wireframe em minutos com ferramentas como Balsamiq, Gliffy, Adobe XD, Axure, Canva, Lucidchart, (ou até mesmo desenhe isso num guardanapo) e mostre às pessoas. Note a interação e faça perguntas, do tipo:

 

  • Do que você acha que essa página se trata?
  • O que você consegue fazer nesta página?
  • O que você faria primeiro?
  • O que você espera ao clicar aqui?
  • O que acha das landing pages?
  • O que melhoraria nesta página?
  • Há alguma informação faltando?

 

Escute todas as opiniões, mude o design se for preciso, e depois mostre às outras pessoas. Ao final do dia, você terá uma página muito melhor do que havia começado.

Agora pode entregar o wireframe a equipe de webdesign e terá muito mais chance de ter uma landing page com taxas de conversão superiores.

 

3. Teste A/B

 

Depois dos benchmarks e do wireframe você poderá testar as suas dúvidas em um teste A/B.

Mas lembre-se! Teste um elemento de cada vez, para que você possa saber o que de fato está funcionando e o que não está.

Exemplos de teste A/B:

  • Mudanças de layout;
  • Imagens;
  • Botões call to action;
  • Título;
  • Descrição;
  • Posições de elementos.

Existem muitas possibilidades de Teste A/B, e esse método é fundamental para avaliar os resultados e mensurar o que funciona para o seu público. Para isso, é necessário uma ferramenta de automação como Optimizely, Google Optimize, entre outras.

 

4. SEO nas landing pages

 

Sim, as técnicas de SEO também se aplicam nas landing pages. O SEO nada mais é do que uma ajuda aos motores de busca, de como encontrar a sua página e direcioná-la para o usuário que está procurando pelas informações que você tem.

Por isso, forneça as palavras-chaves adequadas para que o Google possa indicar o seu conteúdo para quem está procurando por ele.

Para alcançar as primeiras páginas, faça uma boa descrição usando os metadados, utilize uma URL amigável, aplique as estratégias de descrição nas imagens e otimize seu site para conseguir ranquear bem sua landing page nas pesquisas.

 

Leia também: Meta Tags: title e description

 

Diferença de UX e teste de usabilidade

 

UX é a abreviação para User Experience, que em português significa “experiência do usuário”. As técnicas UX levam em consideração a experiência do usuário na hora de utilizar um produto, uma plataforma ou um serviço.

Já o teste de usabilidade observa a parte mais técnica, para saber se todos os elementos e complementos estão funcionando.

Portanto as duas técnicas andam lado a lado e hoje mostraremos como aplicá-las.

 

Dicas de UX nas landing pages

 

Utilizar as técnicas UX é entender como o usuário utiliza o seu serviço e qual a forma de deixar o percurso mais simples até a etapa de conversão.

Neste tópico queremos mostrar como deixar a experiência na sua landing page mais fluida, utilizando as técnicas de UX.

 

O que fazer nas landing pages:

 

  • Objetivo claro: Antes de começar, o seu alvo deve estar em evidência. Ao acessar sua página de destino, as pessoas conseguem identificar para que essa ferramenta serve? O visitante sabe o que ele vai receber ao se cadastrar no fim da sua landing page? Pode parecer óbvio para você, mas tente ver do ponto de vista do usuário.

 

  • Design simples e limpo: Quanto mais claro e eficaz for o caminho da sua landing page, mais leads converterá. Porém, na hora de deixar o design minimalista, não deixe de fora informações importantes. Apenas seja objetivo no seus textos.

 

  • CTA flutuante: Utilizar um botão de call to action flutuante – que acompanhe o visitante enquanto ele desce a página – pode facilitar para aqueles que já se decidiram se inscrever, no meio da landing page. O contraste da cor do botão do CTA, aliado com uma mensagem personalizada tem sido considerada uma prática efetiva para a conversão de leads.

 

  • Sugestões visuais: As sugestões visuais se referem à distribuição dos elementos para que título e imagem complementam um ao outro. Espaços em branco para dar ênfase a um título ou a um cronômetro de contagem regressiva, também fazem parte desse processo.

 

  • Consistência das cores: O design visual é um dos pontos mais importantes de uma página de conversão, por isso, tente não escolher muitas cores e tenha o cuidado de não combinar cores que atrapalhem a leitura do visitante.

 

  • Design responsivo: Lembre-se que a maioria das pessoas acessam conteúdos através de smartphone. Por isso que na hora de criar sua landing page, certifique-se que a versão será responsiva, ou seja, que se enquadra muito bem em aparelhos móveis.

 

  • Formulários inteligentes: Essa é uma outra forma de melhorar a experiência do usuário. Algumas ferramentas de automação oferecem a opção de deixar campos pré-preenchidos, caso a pessoa já tenha deixado os dados dela em uma outra campanha. Assim o processo de inscrição se torna mais simples.

 

  • Social Proof (Prova Social): Você pode dizer quantas pessoas já fizeram o cadastro e quantas utilizam o serviço ou o produto que você está oferecendo, aumentando assim a credibilidade da sua ferramenta.

 

O que evitar nas landing pages:

 

  • Menu: Nada de menus! Não queremos que o usuário se distraia, por isso evite usar menus nas suas landing page, para que assim o visitante chegue até o final da página e realize uma única ação. O mesmo se aplica para o rodapé.

 

  • Distrações: Evite colocar links para redes sociais, notícias do blog ou até mesmo um formulário de contato, como um “fale conosco”, o objetivo principal de uma landing page é gerar leads, coletar dados e capturar e-mails.

 

  • Mais de um CTA: Deixe apenas um call-to-action por landing page, nada de CTAs para criação de contas, ou demonstrações, se tiver muitas opções, pode ser que o usuário não realize nenhuma delas, ou faça uma que não é essencial para o seu objetivo.

 

Quando a sua landing page estiver pronta, e otimizada com essas dicas, leia abaixo como mensurar os resultados e realizar o teste de usabilidade da sua landing page.

 

Teste de usabilidade e técnicas UX para construir landing pages

 

Quando falamos em UX precisamos lembrar que somos diferentes, mas reagimos iguais a certos estímulos.

Por exemplo, quando acontece um barulho muito alto de repente, nos assustamos, quando está claro demais, cerramos os olhos e assim por diante.

Na internet não é diferente, existe uma hierarquia visual que seguimos quando estamos buscando algo, como a leitura em Z ou a leitura em F. Por isso, distribuir os elementos nesse sentido, pode trazer bons resultados.

Para saber como fazer isso, você pode utilizar duas ferramentas de rastreio ocular (tracking eyes) que vão ajudá-lo a testar a usabilidade da sua landing page.

 

Ferramentas para testar a usabilidade da sua landing page

 

Existem dois softwares muito bons que vão ajudar você a descobrir quais são os pontos “quentes” da sua landing page, ou seja quais são seus pontos fortes e fracos.

Com opção de criar mapas de calor, ferramentas como o Hotjar e Crazy Egg podem mostrar qual lugar é mais clicado, gravar o usuário utilizando sua plataforma, além de análises de abandono do site.

Para saber mais, sobre cada uma dessas duas ferramentas de usabilidade de landing pages, leia o tópico abaixo.

 

Hotjar

 

O Hotjar é um software que cria mapas de calor, conhecidos também no marketing digital por heatmaps, entre outras funcionalidades.

Sabendo o caminho que o usuário faz ao navegar pelo site, você pode melhorar a performance do seu site, página, e assim, aumentar a taxa de conversão.

Com essa ferramenta você pode descobrir qual CTA gera mais clique, problemas de carregamento da página e quais melhorias podem ser feitas para otimizar a usabilidade da sua landing page. Veja abaixo quais dados você pode ter com o Hotjar.

Funcionalidades do Hotjar:

  • Heat maps: mostra como é a interação do usuário com o seu site. As áreas mais acessadas estarão com a cor vermelha. Nesse mapa você pode checar quais lugares foi o mais clicado, onde o visitante mais passou o mouse e também, até onde a página foi rolada.

 

  • Recordings: Aqui a análise é feita através de vídeos. A ferramenta grava o que o usuário faz no seu site, assim você pode ver em que momento ele abandonou o percurso. Ainda é possível filtrar a análise por desktop, mobile ou abandono de carrinho, formulário, entre outros segmentos.

 

  • Funis de conversão: Assim como o Google Analytics o Hotjar também mostra as páginas que o usuário abandonou, mas o Hotjar faz isso por vídeo, ou seja, você pode ver o momento exato em que o visitante abandonou um carrinho, uma página ou desistiu de preencher um formulário.

 

  • Análise de formulário: Para saber se seu formulário está muito cansativo, o Hotjar pode mostrar para você em que parte do preenchimento, os usuários desistiram de responder o seu questionário, e assim alterar as etapas que estão causando a desistência, para que assim, fique mais simples.

 

  • Enquete com o usuário: Você pode conversar com usuário – com questões de múltipla escolhas – realizando sua própria pesquisa ao perguntar o motivo da saída de sua landing page, abandono do carrinho ou até mesmo de uma página comum.

 

Crazy Egg

 

Assim como o Hotjar, o Crazy Egg também apresenta os aspectos de experiência do usuário, enquanto ele interage com a página.

Com essa ferramenta você pode analisar os dados de clique e rolagem da tela para gerar mapas de calor. Além do mais, ferramentas desse tipo podem oferecer capturas de feedback, mostrar possíveis erros de carregamento e análises de formulários.

Funcionalidades do Crazy Egg:

  • Heatmaps: Gera uma imagem do seu site, mostrando quais áreas são mais clicadas em seus sites. Sendo assim, você pode utilizá-la para saber em quais locais pode distribuir os elementos.

 

  • Scroll Maps: trata-se da análise de rolagem de tela, para identificar em qual momento o seu público abandona a página, e assim saber em que lugares da página, deve-se fazer melhorias, seja adicionando ou retirando elementos.

 

  • Confetti: Este é um relatório que o Crazy Egg disponibiliza, você pode segmentar as informações para saber a origem de cada tráfego, os mecanismos de busca utilizados, além de traçar o perfil de cada usuário.

 

O que fazer depois de usar as ferramentas de heatmaps

 

Assim que você tiver o mapa de calor do seu site, você terá informações suficientes para otimizar suas landing pages. Veja abaixo algumas perguntas que podem ajudá-lo a se orientar.

  • O que os usuários mais gostam em sua Landing Page? O que não gostam?
  • Há uma taxa alta de rejeição? Por quê?
  • Algum elemento na página que chame a atenção logo no início?
  • Por que eles decidem ficar onde estão? Que elemento chama a atenção?

Se você conseguir entre 5 a 10 pessoas para fazer este tipo de teste, você terá um grande volume de ótima informação que poderá usar para ajustar sua estratégia, melhorar sua landing page, e consequentemente aumentar suas vendas.

 

Testando sua landing page na prática

 

Agora que você já fez sua pesquisa, e otimizou sua landing page com essas dicas, está na hora de fazer um teste final.

Veja como fazer: peça a algumas pessoas dentro do seu target para que visitem a sua landing page e mais duas de seus concorrentes.

Pergunte o que gostaram e não gostaram em cada uma delas.

  • Em qual delas eles fariam o download? Por quê? Qual delas foi a pior? Por quê?

(PS: Não deixe que saibam qual é a sua landing page. Isso poderá influenciar na opinião.)

Comparando e testando sua landing page com a de seus concorrentes vai gerar idéias que você poderá implementar rapidamente para aumentar sua taxa de conversão.

E mais, irá levantar sugestões para usar em testes A/B.

 

Leia também: O que fazer para a minha empresa ter melhores resultados em 2021

 

Conclusão sobre teste de usabilidade e técnicas UX nas landing pages

 

O teste de usabilidade aliado com as técnicas UX são o parâmetro para criar uma boa landing page que gere resultados.

Analisando de uma forma geral, percebemos que precisamos aprender com pessoas de verdade.

Dentro do escritório fazemos apenas suposições, temos ideias baseadas em experiências passadas. Mas no mundo real é que vemos a verdadeira interação das pessoas com as landing pages, suas opiniões, dificuldades e muito mais.

A partir dessa análise da experiência do usuário é que conseguimos criar uma landing page com alto número de respostas.

Boa sorte com sua próxima landing page, e que as conversões sejam cada vez mais altas!

 

Caso precise de ajuda, entre em contato com a equipe da Lamattina Marketing Digital.

 

Ficou alguma dúvida? Deixe um comentário!