Antes de ser empresário já fui freelancer e até hoje conheço diversos bons profissionais que prestam este tipo de serviço.

Para começar, gostaria de falar um pouco sobre a diferença entre contratar uma empresa (Agência de Marketing Digital) e um freelancer para desenvolvimento do seu site em WordPress.

Estrutura (equipe e escritório)

Quando você contrata um freelancer, deve ter ciência que está contratando trabalho de um único profissional, que muitas vezes faz home-office. Ou seja, caso este profissional fique doente, seu projeto tende a ficar parado. Caso ele desista da profissão, seu projeto ficará incompleto. E em muitos casos, caso ele arrume um projeto melhor, o seu projeto ficará em segundo plano.

Sem contar que ao escolher um freelancer, você estará contando com o conhecimento de uma única pessoa. Ao contratar uma empresa, você terá o conhecimento de uma equipe multidisciplinar, com passagem em diferentes agências e empresas.

Custos (valor do projeto)

Pelos motivos que citei anteriormente, há de se esperar que o mesmo projeto desenvolvido por um profissional freelancer terá o custo mais baixo que o de uma agência (empresa).

Isso se deve pelos seguintes fatores:

  1. Custos do escritório – locação, condomínio, equipamentos, etc;
  2. Custos de funcionários – a empresa deve não só pagar os funcionários, como arcar com todos os custos trabalhistas como impostos, férias, décimo terceiro salário, transporte, etc;
  3. Impostos – todos os serviços prestados devem ter NF emitidas, e os devidos tributos recolhidos.

Portanto, é natural que exatamente o mesmo projeto tenha um custo de R$ 500,00 com um freelancer e um custo de R$ 2.000,00 com uma agência ou empresa.

Uma vez entendido a diferença entre os dois tipos de trabalhos, darei algumas dicas no caso de você optar por contratar um freelancer para o seu projeto em WordPress:

1. Exija Nota Fiscal para o serviço prestado

Não aceite descontos para serviços sem nota fiscal!

Hoje em dia é muito fácil o profissional emitir uma nota fiscal como MEI (Microempreendedor individual). Se o cidadão não teve o trabalho de fazer este processo rápido e simples antes de prestar os serviços, qual você acha que é o grau de comprometimento dele com a profissão?

2. Faça um contrato do serviço a ser entregue

O contrato é de fundamental importância, pois nele constará tudo que foi combinado entre as partes: site a ser entregue, prazo de entrega, prazos de pagamentos, multas por atraso e tudo mais.

Sem contrato não tem acordo. Sem contrato você não possui respaldo legal.

O contrato deve ser feito com a razão social e CNPJ do profissional que está contratando. Por isso, o primeiro item foi a exigência da nota fiscal.

3. Tenha o escopo do projeto

Você como cliente e/ou empresário espera uma coisa do seu site, um programador ou designer tem uma visão completamente diferente do seu negócio e do conceito de criação de sites.

Vamos exemplificar:

Muito bem, você contratou a criação de um site em WordPress para uma empresa de contabilidade.

Depois de alguns dias o freelancer te retorna com o projeto, você não gosta do que foi entregue. Então ele te cobra um valor adicional para os ajustes. Obviamente você não concorda, mas ou aceita este projeto ou terá que pagar para fazer a mudança.

Quem está certo? Infelizmente, ele está certo. Porque ele te entregou um site em WordPress, que foi o contratado.

Itens que você deve se atentar ao contratar um site em WordPress (e incluir tudo em contrato):

  •  Quantidade de páginas: por exemplo, se seu site tiver a “página inicial”, “sobre a empresa”, “produtos”, “serviços” e “contato”; então seu site terá 5 (cinco) páginas. Cada URL é uma página, ou seja, cada vez que você clicar em algo e é direcionado para uma outra área do site, isso será uma página;
  • Funcionalidades: esse ponto é extremamente importante, porque seu projeto poder ter uma única página, mas com funcionalidades complexas. Se isso não estiver claro, e não estiver documentado, certamente você poderá pagar custo extra para o desenvolvimento;
  • Venda Online: se você pretende vender produtos pelo seu site, ele precisará de uma estrutura específica. Você deverá documentar regras de negócios, quantidade de produtos, frete e pagamento.
  • Prazo de entrega: combine a data de entrega. Evite vincular pagamento a entrega, principalmente “o famoso 50% no início e 50% na entrega”. Sua empresa tem muito a perder se seu site não for entregue, tenha isso em contrato.
  • Tema: o WordPress possuí um repositório enorme de temas gratuitos e pagos. Simplificando, o tema seria a base do seu site. Você pode optar por customizar um tema gratuito, poderá customizar um tema pago, ou ainda fazer um tema próprio. Cada projeto terá custo diferente. Saiba o que você está contratando!
  • Revisões: essa é sempre a pior parte de todo projeto. Você, como contratante, deve combinar a quantidade de revisões e quantidade de itens a cada revisão. Organize e documente todas as alterações solicitadas e faça as solicitações de maneira clara e objetiva. Se você pedir de maneira genérica e subjetiva, não reclame depois da entrega.

 

Eu sei que parece trabalhoso, mas eu acredito que é melhor você gastar tempo no planejamento do seu projeto e nos detalhes da contratação do serviço, do que ficar com um site mal feito. E depois ter que contratar outro profissional ou empresa para terminar o site. Ou ainda pior, ter que refazer completamente.

Siga os passos 1, 2 e 3 que mencionei e você terá um projeto de acordo com o contratado. No caso de não receber o que contratou, você terá que recorrer aos meios legais. Mas só do profissional estar neste nível de comprometimento, as chances de você ter problema já são muito menores.

O profissional inexperiente ou mal intencionado não conseguirá atende-lo com essas exigências.

Espero que goste das dicas e se tiver algum caso para contar, ou uma sugestão para complementar o conteúdo, deixe nos comentários.