fatores seo

Hoje vamos começar com uma série de fatores que influenciam o rankeamento dos sites, de acordo com o Algoritmo do Google.

Você provavelmente já sabe que o o algoritmo do Google é complexo e considera mais de 200 fatores, e que a empresa nunca abre o seu segredo.

 

Quer saber como o sistema do Google Funciona? Clique Aqui!

 

Então fui atrás de diversas fontes e cheguei a um número considerável de fatores: alguns deles são comprovados, outros são controversos e alguns apenas especulações de nerds.

Portanto, ao fazer SEO, não pense puramente nestes fatores. Faça a seguinte pergunta: “Isso é bom para o usuário do meu site?”

Se a resposta for “Sim”, então considere como um fator de rankeamento.

Vamos lá…

 

Fatores de Domínio

 

#1 – Tempo de registro do Domínio

Há um vídeo, em que o próprio Matt Cutts diz: “a diferença entre um domínio de 6 meses e outro de um ano não é tão grande.”

Em outras palavras, este fator é importante, mas nem tanto assim. E outra, todo site tem que começar um dia, então não há muito o que fazer em relação a isso. O único conselho que eu daria é: não troque seu domínio, a não ser que a empresa mude de nome, ou algo do tipo. Quanto maior o tempo de seu domínio, melhor.

#2 – O domínio contém a palavra-chave

Há algum tempo este era um fator importante, hoje nem tanto. Portanto, não se preocupe se você quiser otimizar seu site para a palavra “carro” e seu domínio não tiver este nome.

Se tiver, melhor ainda, porque o resultado das buscas traz a palavra-chave em negrito e seu site terá alguma vantagem em relação a outros competidores, mas este não é um fator crucial, que possa arruinar seu trabalho de SEO.

#3 – Data de Expiração do Domínio

O próprio Google afirma, que domínio “legítimos” normalmente são pagos por diversos anos, enquanto domínios de baixa qualidade, ou “ilegítimos”, geralmente são utilizados por menos de um ano. Dessa forma, a data de expiração é considerada um fator de legitimidade do domínio.

#4 – Palavra-chave no Subdomínio

O software de Otimização SEO MOZ, através de levantamento do seu painel, afirma que conter a palavra-chave no subdomínio, auxilia positivamente no rankeamento do site para esta Keyword.

#5 – Histórico do Domínio

Um site que passa por diversos donos (via whois) ou diversas baixas, pode informar ao Google para “limpar” o histórico do site, negando os links que apontam para o domínio. Dessa forma, todo trabalho árduo de Link Building, pode ser perdido, impactando negativamente para o SEO.

#6 – Whois Público x Privado

Ter a propriedade do site privada (via whois) pode ser sinal de “algo a esconder”, segundo o próprio Matt Cutts, na Pubcom 2006. Portanto, se você não tem nada a esconder, recomendo que deixe a propriedade do site como pública.

#7 – Usuário WhoIs Penalizado

Se o Google identificar uma determinada pessoa como “spammer”, faz todo o sentido que outros sites de sua propriedade sejam penalizados.

#8 – Domínio local

Utilizando um domínio local (.br, .pt, .ca) ajuda o site a performar para aquele determinado país… por outro lado, limita no rankeamento global.

 

Fatores de Page Level

 

#9 – Palavra-chave no título da página ou “Title TAG”

O título é o segundo elemento mais importante da página (além do conteúdo) e influencia fortemente no SEO on-page. Além disso, incluir a palavra-chave no início da “Title TAG” tende a performar melhor nos mecanismos de busca. Para o Google, por exemplo, este título deve ter até 60 caracteres.

#10 – Palavra-chave na descrição da página ou “Description TAG”

Mantendo a lógica da consistência, conter a palavra-chave na descrição da página também influencia positivamente no SEO. Mais uma vez, quanto mais perto do início, melhor!

#11 – Palavra-chave no H1 da página ou “H1 TAG”

A estrutura de Headings da página (H1, H2, H3, etc) é bastante importante para o Google e outros buscadores, pois organiza o conteúdo por ordem de importância. O H1 é a TAG mais importante da página e conter a palavra-chave no H1 é fundamental para um bom SEO.

#12 – Palavra-chave sendo a frase mais usada na página

Se a palavra-chave aparecer mais do que qualquer outra na página, os buscadores entederão como um sinal de relevância para este termo.

#13 – Tamanho do conteúdo

Conteúdo com maior número de palavras são mais relevantes que conteúdos superficiais.

#14 – Densidade de palavra-chave

Apesar de ter menos importância que no passado, densidade de palavra-chave ainda é importante para o Google. Ou seja, de todas os termos da página, quantas vezes aparece a palavra-chave principal. Mas cuidado, que o exagero pode lhe causar penalidades.

#15 – Tempo de carregamento da página

Tanto o Google quanto o Bing usam o tempo de carregamento da página como um fator de SEO. Portanto, é importante ter uma página com código e conteúdo otimizados tanto para PC’s, quanto tablets e smartphones.

#16 – Conteúdo duplicado

Conteúdo idêntico no mesmo site (mesmo com pequenas alterações) podem influenciar negativamente no SEO, como uma forma de “enganar” os robôs de busca.

#17 – Otimização de Imagens

Imagens na página impactam positivamente o rankeamento do site através do nome do arquivo, alt text, título e descrição. Portanto, é de grande importância a inclusão correta de imagens nas páginas.

#18 – Periodicidade de atualização das páginas

O Google também considera quando o site/página foi atualizado pela última vez. Ter um site estático e sem alterações relevantes, pode perder relevância ao longo do tempo. Além disso, também é considerada a magnitude destas mudanças: ter apenas algumas palavras trocadas não é tão significativo quanto incluir ou alterar seções inteiras nas páginas.

#19 – Histórico de alterações no conteúdo

Com que frequência o site é atualizado? Diariamente, semanalmente? Ter um site em constante atualização tem um impacto positivo no SEO.

#20 – Posicionamento da palavra-chave

Ter sua palavra-chave foco entre as 100 primeiras palavras da página também é importante para melhor rankeamento nas buscas por este termo.

#21 – Palavra-chave no H2 e H3

Utilizar a palavra foco nos subheadings tem alguma importância, mas não tanto quanto utilizá-la no H1.

#22 – Quantidade de Outbound links

Ter links para sites de qualidade e confiáveis ajuda a mostrar ao Google que seu site também é confiável.

#23 – Tema dos Outbounds links

De acordo com a ferramenta SEOMoz, os mecanismos de buscas podem considerar o tema das páginas que seu site direciona os links como sinal de relevância. Por exemplo, se um site sobre carros estiver linkado para um site de cinema, isso pode ser um indício que o conteúdo do site é sobre o filme “carros”, e não sobre automóveis.

#24 – Gramática e ortografia

Utilizar corretamente a gramática e não conter erros ortográficos também é um sinal de qualidade do site.

#25 – Autoridade do conteúdo

O conteúdo do site é copiado de outro lugar? Se for copiado de algum outro lugar, certamente o ranking será inferior ao da página original. Portanto, não adianta copiar o conteúdo do concorrente para obter resultados melhores, você sempre estará um passo atrás.

#26 – Conteúdo e ferramentas complementares

Ter ferramentas de auxílio no site, também é um indicador de qualidade e rankeamento. Alguns exemplos são: conversores de moedas, interatividade, calculadoras de juros, etc.

#27 – Número de Outbound links

Ter muitos links externos pode afetar o PageRank, piorando a visibilidade do site. Uma alternativa para este problema, quando for preciso um grande número de links externos, é usar o atributo “nofollow” em alguns links.

#28 – Multimídia

Imagens, vídeos e outros conteúdos multimídia pode ser um indicador de qualidade do seu site, desde que estejam relacionados ao conteúdo.

#29 – Estrutura de links internos

A quantidade de links apontando para uma página dentro do seu site, indica aos buscadores o grau de importância em relação as demais páginas.

#30 – Qualidade dos links internos

Quanto maior for a autoridade da página que estiver apontando o links para outras, melhor o efeito no SEO. Em outras palavras, de nada adianta criar diversas páginas irrelevantes apontando para uma outra que deseja ter melhor rankeamento, se o conteúdo não estiver adequado e o PageRank for baixo.

#31 – Links quebrados

Ter muitos links quebrados, pode indicar que você negligencia o site, ou que ele está abandonado. Portanto, é sempre importante verificar todos os links dentro do site e validá-los.

#32 – Erros no HTML / validação W3C

Muitos erros no código podem comprometer a qualidade do seu site. Não esqueça de sempre validar o HTML/CSS de acordo com as regras W3C.

#33 – Autoridade de domínio

O mesmo conteúdo em diferentes domínios podem ter posicionamento diferentes nas buscas. Um dos fatores é a autoridade do domínio, que considera tempo de existência e “consistência” ao longo do tempo.

#34 – PageRank

Geralmente, PageRanks mais altos irão performar melhor que PageRanks baixos. Muitos são os fatores que influenciam o PR da página e isso daria um post imenso, só sobre este tema.

#35 – tamanho da URL

URL’s muito longas tendem a perfomar pior que URL’s mais curtas.

#36 – Caminho da URL

Páginas mais próximas a Home Page, geralmente terão performance melhor, pelos buscadores julgarem mais importantes.

# 37 – Categoria da página

Categorizar o site faz parte da relevância. Ter páginas e/ou posts dentro de uma mesma categoria será melhor que páginas não categorizadas, pois isso mostra aos buscadores os temas que seu site aborda.

# 38 – Palavra-chave na URL

Este fator já teve mais importância no passado, mas certamente conter sua palavra-chave foco na URL da página terá um significado de relevância para os buscadores.

# 39 – Fontes e referências

Citar fontes e referências, com estudos e matérias, pode ser um sinal de qualidade do seu conteúdo. Tente sempre referenciar seus posts, quando possível.

# 40 – Bullets e listas

Listas numéricas e bullets ajudam a quebrar conteúdo para o leitor. Portanto, este é outro fator que irá dar uma ajuda a aumentar o SEO do seu site.

# 41 – Prioridade da página no mapa do site

A prioridade da página fornecida via sitemap.xml pode influenciar o rankeamento.

# 42 – Muitos links externos

Algumas páginas possuem muitos links apontando para outras páginas, isso pode tirar o foco principal e influenciar negativamente no rankeamento.

# 43 – Quantidade de palavras-chave que a página está rankeando

Se a sua página consegue obter bom ranking para outras palavras-chave, além da principal, isso pode ser um ótimo sinal de qualidade.

# 44 – Idade da página

Apesar do Google preferir conteúdo “fresco”, uma página antiga, com atualização de conteúdo, deve ter um melhor posicionamento que uma nova página.

# 45 – Layout amigável ao visitante

Um bom layout para o visitante deixa o conteúdo mais visível e melhora a navegação.

Fatores de Site Level

 

# 46 – Conteúdo Único e Útil

O Google está buscando sites que não trazem conteúdos novos e relevantes. Especialmente programas de afiliados.

# 47 – Página de “contato”

É importante ter informações de contato que facilitem a vida dos visitantes. Principalmente se essas informações estiverem de acordo com seus dados no WHOIS.

# 48 – Confiabilidade do domínio (site)

O índice de confiabilidade é mensurado de acordo com os links que direcionam ao seu site (se os links são confiáveis ou não).

# 49 – Arquitetura do site

É importante organizar a estrutura do site de forma que os mecanismos de busca consigam interpretar o conteúdo em categorias. Isso facilita muito também a visa dos usuário do site, que conseguem navegar com facilidade.

# 50 – Atualizações do site

A periodicidade com que o conteúdo do site é atualizado também irá fazer com que o Google entenda seu site como algo sempre com novidades. No entanto, como já falamos anteriormente, deve haver relevância nestas atualizações.

Por enquanto, listamos 50 itens para você prestar atenção se quer melhorar o SEO de seu site. Mas não vamos parar por aqui, acompanhe esta série e tenha melhor rankeamento no Google e outros buscadores. Tem alguma dúvida? Pode enviar, que responderemos em breve!