Este post é resultado de um estudo realizado ao longo dos últimos 7 anos, com mais de 200 clientes e 500 projetos entregues. A idéia foi reunir as maiores dúvidas dos clientes e também os erros mais comuns que os vi cometendo ao iniciar um projeto de criação de site ou marketing digital.

A leitura com atenção pode te ajudar a economizar tempo e dinheiro em seu projeto, evitar ser enganado por empresas e freelancers mal intencionados ou despreparados e aumentar consideravelmente as chances de sucesso do seu negócio na internet.

Alguns pontos parecerão óbvios, mas tratarei mesmo assim, pois constatei que muitos ainda possuem dúvidas acerca das questões. Dessa forma, deixo um índice abaixo, e você pode pular direto ao ponto que te interessa.

Assuntos que serão tratados neste post:


  1. Registro de domínio;
  2. Definições iniciais do projeto;
  3. Escolha da empresa ou equipe interna;
  4. Escolha da plataforma;
  5. Hospedagem e manutenção do site;
  6. Canais de comunicação;
  7. Mensuração de resultados e otimização contínua.

 

1. Registro de domínio

O domínio é o link do seu site, por exemplo: https://lamattinadigital.com.br. Este é o domínio do meu site.

Ao pensar em seu negócio, certamente você precisará de um nome para sua empresa. A partir deste nome você também escolherá o domínio: nomedasuaempresa.com.br.Registro de domínio

Como primeiro passo, recomendo acessar registro.br e verificar se o domínio está disponível. Caso esteja, já o reserve. Se não estiver, talvez você pense em um outro nome para a empresa, ou escolha um domínio ligeiramente diferente.

Muitas agências oferecem domínio grátis, mas isso não é grande vantagem, uma vez que o custo anual é de R$ 40,00. E já vi muitas empresas terem problemas para fazer mudanças em sites e e-mails por não terem o controle do domínio (exatamente por estar nas mãos de uma agência que não existe mais, ou de um freelancer que sumiu do mapa).


Portanto, faça seu cadastro no registro.br, reserve seu domínio e forneça apenas o ID técnico para a agência ou profissional que for trabalhar para você. Fique com o acesso administrativo e de cobrança, e não esqueça de pagar todos os anos, evitando suspensão dos serviços.

Para evitar qualquer problema, você pode pagar por períodos maiores que um ano, inclusive com algum desconto.

 

2. Planejamento e definições iniciais do projeto

Muitas pessoas começam a pesquisar preços antes de terem definido o projeto. Mas como é possível precificar um projeto que não tem escopo?

Seria como você tentar cotar preço de material de construção para o projeto de uma casa que não tem o projeto do arquiteto. Você até consegue saber valores individuais de alguns produtos, mas não terá a menor idéia do custo final.
Planejamento e definições iniciais do projeto
Isso acontece muito com desenvolvimento de sites e estratégias de marketing digital, e o resultado final é um preço acima do que foi cotado inicialmente ou uma entrega abaixo do que era esperado.


Portanto, recomendo que invista um tempo pensando na estrutura do seu site ou projeto, pesquise concorrentes e faça um rascunho das páginas e funcionalidades que gostaria em seu site.

Tenha sempre em mente que mudanças no projeto terão custos adicionais, e sabemos que ninguém gosta disso.

 

3. Escolha da empresa ou equipe interna

Uma vez tendo definido seu projeto, será importante decidir se você irá contratar uma empresa/agência/freelancer para desenvolvimento ou se este será desenvolvido por uma equipe interna.

Escolha da empresa ou equipe internaCaso opte por terceirizar, vejo três principais formas de buscar:

  • Buscas na internet pelo Google ou Redes Sociais;
  • Navegar em sites que você gostou e procurar pelo link no rodapé indicando quem foi responsável pelo desenvolvimento;
  • Pedir referências a colegas que tiveram boas experiências em seus projetos.

Se você optar por desenvolver internamente, minimamente ira precisar de um designer (ou webdesigner) e um programador. Depende muito do tamanho e do prazo que pretende finalizar.

A diferença básica entre terceirizar e ter uma equipe interna é que ao contratar uma agência/profissional você pagará pelo projeto e eventuais custos de mudanças no mesmo. Ao desenvolver internamente, você pagará salários e terá uma equipe exclusiva dedicada, no entanto o pagamento da remuneração independe do fim ou não do projeto, bem como do sucesso.

Se o desenvolvimento for pontual, recomendo terceirizar. No entanto, se for um grande projeto que demandará manutenção constante e atenção diária, minha recomendação é começar a estruturar uma equipe interna.

Exemplos de projetos em que terceirizar é a melhor opção: sites de empresas de arquitetura, consultorias, profissionais liberais e qualquer outro negócio onde o site é apenas uma forma de divulgação e não o core business.


Exemplos de projetos em que é melhor ter uma equipe interna: sites como Mercado Livre, Netshoes, Redes Sociais e outos negócios onde o site e/ou aplicado é o core business da empresa.

 

4. Escolha da plataforma

Escolha da plataforma

 

Existem centenas ou talvez milhares de plataformas que você pode escolher para desenvolver seu site ou projeto. E sinceramente não tem como dizer qual é a melhor. Tudo irá depender do projeto e dos objetivos de curto, médio e longo prazo do negócio.

Essa escolha também estará ligada a empresa ou equipe que for desenvolver o projeto. Em nossa agência por exemplo, a principal plataforma utilizada é o WordPress e quase sempre recomendamos o uso deste CMS (sistema de gerenciamento de conteúdo), pelo ótimo custo x benefício e pela facilidade de encontrar mão de obra caos queira mudar de fornecedor.


Pesquise os prós e contras de cada plataforma que te recomendarem antes de escolher. A escolha da plataforma errada pode ser o fracasso do seu projeto, podendo implicar em problemas técnicos, altos custos de manutenção e muitas vezes na necessidade de refazer o projeto inteiro no futuro.

 

5. Hospedagem e Manutenção do site

90% dos nosso clientes não entendem a diferença entre hospedagem e manutenção de sites. Dessa forma, tentarei explicar da maneira mais simples e prática possível:

 

Hospedagem de site e e-mails
É apenas o “aluguel” de um computador/servidor que será responsável por deixar seu site e e-mails no ar o tempo inteiro. Não engloba melhorias, nem ajustes no site.
Você pode tranquilamente contratar uma empresa como Locaweb, Hostgator, Hostinger, WP Engine para hospedagem e ter uma outra empresa ou profissional prestando o serviço de manutenção. Ou também pode contratar tudo em uma única empresa para hospedagem e manutenção do seu site e e-mails.

Hospedagem de site e e-mails

Manutenção do site

É responsável pelos ajustes técnicos, prevenção e correção de erros, mudanças de layout e funcionalidades. Neste ponto, existem diversos níveis de prestação do serviço e dependerá da quantidade de trabalho que o site irá necessitar mensalmente, geralmente cobrado por hora.

Muitos clientes deixam de fazer manutenção no site após o final do projeto e isso certamente traz dores de cabeça no futuro.

A internet é um ambiente orgânico e dinâmico em constante mudança, onde milhões de pessoas transitam diariamente (bem a mal intencionadas), assim como robôs (bem e mal intencionados).

Dessa forma, fazer com que seu site acompanhe este ambiente é fundamental, e para isso você precisa realizar manutenções preventivas e corretivas, bem como ajustes constantes.

 

Comparando hospedagem e manutenção de sites com um automóvel

Tentando trazer um exemplo mais prático, dentro da realidade da maioria das pessoas, imagine o seu site como um carro:

  1. Você entra na loja, escolhe o que mais te agrada (por inúmeros motivos e comparações que fez) e compra;
  2. No dia a dia, você deixará este carro estacionado numa vaga de garagem e irá abastece-lo para que ele possa rodar;
  3. Periodicamente você irá fazer manutenções como troca de pneus, limpeza de filtro, troca de freios e inúmeras outras, garantindo a segurança e bom funcionamento do seu carro.

Com o seu site é semelhante:

  1. Você pesquisa agências e profissionais e contrata o projeto que mais te agrada (por inúmeros motivos e comparações que realizou);
  2. No dia a dia você deixará seu site e e-mails hospedado em um servidor para garantir que eles estarão no ar;
  3. Periodicamente você fará ajustes para garantir o bom funcionamento como atualização de recursos, mudanças de layout, implementação de tecnologias mais modernas e assim por diante.

Praticamente todo produto e serviço que você contratar hoje terá um custo de manutenção, e com site não é diferente.

 

6. Canais de Comunicação

Gosto de dizer que montar um site é como abrir uma loja no fundo da sua casa, ou seja, ninguém passa na frente.

Você colocou seu site no ar, mas ninguém irá acessa-lo, pois ninguém sabe da existência dele. Milhares de sites são lançados todos os dias e ninguém fica sabendo.

Canais de Comunicação

Para que as pessoas ou empresas tomem conhecimento que seu site existe, você precisará divulga-lo. Existem inúmeras formas de fazer isso, mas vou listar algumas principais (de maneira muito resumida):

    1. Campanha de Google Ads: na minha opinião, para a maioria dos negócios essa ainda é mais eficiente. Quando digo eficiente, não quero dizer a melhor para todo mundo. Mas via de regra é a que traz melhores resultados em curto, médio e longo prazo. Você cria anúncios dentro do contexto de busca do usuário e apresenta anúncios bastante segmentados, que o levam até a página da sua empresa que oferece exatamente o que ele está buscando.
    2. Otimização Orgânica (SEO): estratégia muito eficiente, mas visa resultados de médio e longo prazo. Muitos têm a ilusão de é uma forma gratuita de conseguir bom posicionamento no Google e trazer clientes para o seu site. De fato é gratuita por não envolver verba de publicidade, mas envolve muito tempo e trabalho, além da necessidade de equipe técnica. Você certamente precisará contratar um profissional ou agência e verá que o serviço não é simples e, muito menos grátis.
    3. Redes Sociais: aqui estamos falando de Facebook, Instagram, Pintrest, Youtube, Linkedin, entre diversas outras. Uma ótima forma de criar engajamento com seu público alvo e também de lançar campanhas online (tenha em mente que posts orgânicos e campanhas são trabalhos distintos). Neste tipo de trabalho vejo muitas empresas e clientes falharem por falta de estratégia da marca. Ou seja, entram nas redes sociais só porque todo mundo está lá. O resultado são postagens sem planejamento, sem calendário e baixa interação do público alvo (quando conseguem atingir esse público).
    4. E-mail Marketing: uma estratégia de baixo custo e bastante interessante no sentido de enviar mensagens segmentadas a pessoas/empresas que têm interesse em receber seu conteúdo. A principal falha aqui acontece em enviar uma única mensagem a toda a sua lista, mesmo para aquelas pessoas que não têm interesse em recebe-la. Segmentação de público é a peça fundamental para o sucesso.

De forma muito resumida, vejo essas como as principais formas de comunicação e as que os nossos clientes mais utilizam. Cada um destes 4  pontos poderia render um post inteiro a respeito deles, mas a idéia era só dar um panorama das possibilidades.

 

7. Mensuração de resultados e otimização contínua

A forma mais simples e mais utilizada para análise de audiência é o Google Analytics. Sem análise destes relatórios, todas as ações anteriores se tornam inúteis.

Mensuração de resultados e otimização contínua

Gosto muito do Google Analytics para realizar dados quantitativos. E tenho utilizado com bastante frequência o Hotjar para análises qualitativas, através de vídeos das sessões dos usuários e mapas de calor. Recomendo testarem a versão gratuita, e uma vez que gostarem, migrar para a versão paga, que o preço é bastante justo.

Sei que ao final das contas, o importante é o resultado em vendas, mas sem entender a interação do público com seu site, transformar isso em vendas ou solicitações de orçamentos será como dar tiros no escuro. Um e outro ou até muitos podem acertar, mas terá sido basicamente sorte.

O sucesso de um projeto online fundamentalmente terá que passar por análise de resultados e otimização contínua. O sucesso de hoje pode acabar num futuro muito próximo, em razão da velocidade das mudanças com que tudo ocorre no mundo online.

 

Conclusão

Minha idéia aqui não foi criar um guia, nem um material que sirva para todo mundo. Tentei compartilhar experiências que tive ao longo dos últimos 7 anos e trazer as dúvidas e erros mais comuns. Se você tiver uma dúvida ou veja algum ponto que não tratei neste post, pode deixar nos comentários que responderei o mais breve possível.

Espero que tenham gostado, e principalmente que este material seja útil para começar seu projeto com o pé direito.